COMPROMISSO DE AMOR - CF/21

            Com o Tema: Fraternidade e Diálogo: Compromisso de Amor e o Lema: “Cristo é nossa Paz: do que era dividido fez uma unidade” (Ef 2,14a), somos convidados, ou seja, convocados a darmos testemunho da unidade na diversidade, sendo a melhor forma de vivermos como irmãos superando a violência que deixa marcas de dor e sofrimento.

            O diálogo é sempre o melhor caminho, o caminho da Paz que leva ao compromisso do Amor. “O dialogo perseverante e corajoso ajuda o mundo a viver melhor”, destaca o Papa Francisco na Enciclica Fratelli Tutti.

            Entrando no clima da Quaresma, exercitando-nos na fraternidade, somos chamados a crescer na capacidade do diálogo, que nos abre a acolhida e escuta do próximo, nos capacita a interagirmos com os mais necessitados e juntos discernirmos as melhores ações para o bem, a justiça e a verdade.

            O Papa Francisco nos chama a atenção à passagem bíblica do Samaritano. Homem, este, que nos coloca diante de uma escolha: diante do homem ferido, e hoje temos muitos feridos, todos os povos estão feridos. Então há três atitudes – ser bandido é promover a exclusão, a violência, a iniquidade; ser indiferente, apenas envolto em nossos problemas; ou reconhecer o homem caído esvaído de dor e cuidamos dele com amor desinteressado. “Todos temos uma responsabilidade pelo ferido que é o nosso povo e todos os povos da terra. Cuidemos da fragilidade de cada homem, cada mulher, cada criança e cada idoso, com a mesma atitude solidária e solícita, a mesma atitude de proximidade do bom samaritano” (Fratelli Tutti, 79). Diz ainda o Papa Francisco, se a fraternidade não for realmente exercida, também se perderão a liberdade e a igualdade. E o mundo, então, será perdido! Mas um coração que se converte a Deus jamais será indiferente ao irmão.

            O Beato Edmundo Bojanowski, homem bom e cordial viveu e ensinou o verdadeiro sentido do existir sendo presença humilde, simples servindo aos pobres, doentes e ensinado às crianças e as primeiras irmãs a prática do Amor. Dizia ele: “Irmãs, amai-vos e amai-vos!” Com sabedoria e humanismo distingui-se dos dominadores usando da comunicação e do diálogo para navegar no mar da vida comum dos homens, inclinado ao miserável.

            Somente quem se deixou tocar e atrair pela mística transformante do amor segue na vida atraindo outros para que se tornem cada dia melhores e, assim, melhorar o mundo. É como a vela, que se gasta para iluminar os outros, e quanto mais luminosa se faz, mais ilumina o ambiente (Texto de Reflexões e Orações da Congregação).

            Conforme o Hino da CF:

Venham todos, vocês, venham todos,

Reunidos num só coração, (cf. At 4, 32)

/: De mãos dadas formando a aliança,

Confirmados na mesma missão. (bis).

            Todos somos convidados, homens, mulheres, jovens, crianças, idosos a nos     unirmos, mesmo com nossas diferenças, nossas particularidades, mas num único sentido – Jesus Cristo e seu Evangelho, porque, “Cristo é a nossa paz: do que era dividido, fez uma unidade” (cf. Ef 2,14a).

Ir. Silvia