A Congregação das Irmãs Servas da Imaculada Conceição da Virgem Maria foi fundada pelo Bv. Edmundo Bojanowski no dia 03 de maio de 1850, na Polônia.

 

O contexto político-social da Polônia nesta época era muito difícil em função das ocupações estrangeiras. Desde 1772 o povo polonês teve que conviver com sérias questões que feriam profundamente sua própria identidade de povo com suas tradições folclóricas, sua cultura e religiosidade. Em 1815, no Congresso de Viena, Polônia foi dividida entre a Rússia, a Áustria e a Prússia (Alemanha). A família de Edmundo habitava na região de Poznan, região dominada pelo governo alemão.

 

Todo este contexto transformou a Polônia em um país empobrecido em todos os níveis: cultural, material, religioso e social. Desde sua infância, Edmundo participava dos movimentos de resistência a esse domínio. Enquanto alguns participavam de revoluções, de levantes e protestos, Edmundo, em função de sua idade e saúde, combatia com as armas intelectuais, ou seja, fazia publicações de artigos para esclarecer a população, traduzia livros, dirigia escolas para a juventude e se ocupava das crianças e doentes pobres.

 

A Congregação surge neste contexto com o objetivo de ser presença dos valores humanos e espirituais capaz de levar as famílias a se reorganizarem na sua missão de educadora e transformadora da sociedade.

 

A Espiritualidade e carisma da Congregação tem na atitude de Servir sua principal iluminação. Desejando seguir Jesus Cristo, enviado por Deus e obediente ao Pai, que renunciou a si mesmo e assumiu um comportamento de Servo (cf. Fl 2, 7-8), as Irmãs Servas da Imaculada Conceição entregam-se a Deus especialmente em seu amor ao servir. O amor pelos seres humanos nos aproxima de Cristo que se fez igual em tudo, com exceção do pecado. Deu até Sua vida por todos porque compreendeu que veio não para ser servido, mas para servir incondicionalmente.

 

Imbuído deste espírito, o Bv. Edmundo fez de Cristo o centro e o fim de sua vida. A total adesão a Ele transformou completamente sua vida e seu agir. O fio condutor de toda a sua existência foi a docilidade às inspirações do Espírito Santo e a aceitação de sua Vontade.

 

Inspiradas na espiritualidade do Fundador, nutrimos grande confiança na Providência Divina e na sua misericórdia, que tudo guia e tudo justifica. O Sacramento da Eucaristia é a fonte inesgotável, é a luz que nos guia no seguimento de Cristo. “Coloco minha esperança na infinita e misericordiosa Providência de Deus que até agora nunca nos abandonou e que não o fará nem menos no futuro” (Bem-aventurado Edmundo).

 

Nossa espiritualidade também tem um caráter mariano. Maria era vista pelo Bem-aventurado. Edmundo como o modelo de simplicidade, de perfeito seguimento  e dedicação a Cristo, aquela que viveu de perto os mistérios de Sua vida. A Serva do Senhor é, para cada Irmã, a inspiração na vivência do Carisma, incentivo a um estilo de vida simples a ponto de se deixar conduzir por Deus sem reservas e, justamente nessa entrega de amor como “serva” encontrar o pleno desenvolvimento e realização da própria vida e vocação. Como Serva do Senhor, a Irmã é servidora de todos, põe-se a caminho para ir ter com Isabel, intercede com humildade em Caná  e corajosamente permanece de pé junto à cruz dos filhos de Deus, de modo especial os filhos que estão a margem da sociedade.

 

Seguindo o Mestre Jesus, procuramos com amor os necessitados e esforçamo-nos por adaptar sempre o nosso serviço às dadas circunstâncias no que se refere, especialmente, à educação de crianças e jovens, assistência aos doentes e pobres, como também as diversas formas de ação apostólica na Igreja.

 

Do fundador, compreendemos que “é preciso tocar a miséria com as próprias mãos, isto é, doar-se em favor dos que precisam de nós”. Aproximar-se das pessoas que não podem cuidar de si próprias.

Do decorrer dos seus 157 anos de história, a Congregação vem realizando sua missão evangelizadora no mundo. Profundas transformações sócio-políticas exigiram mudanças concretas para continuar sendo presença ativa e eficaz na sociedade. Paradigmas se sucedem, mas o Carisma permanece convocando a Congregação para a missão em novos tempos.

 

A expansão da Congregação se deu rapidamente. A repercussão dos trabalhos realizados pelas Irmãs foi favorável ao seu desenvolvimento e, em pouco tempo, a Congregação estava em condições de atender às inúmeras solicitações vindas do povo em diversos locais da Polônia e fora dela. Este povo pedia a presença das Irmãs e, além disso, dos trabalhos na área da educação e saúde.

 

Todavia, durante este próspero florescimento, o país foi dividido em três partes devido a questões políticas, impedindo a ligação das Irmãs entre si, resultando, mais tarde, na formação de quatro Congregações. Cada qual passou a se organizar de forma independente, mas, mais do que nunca, unidas através da Espiritualidade e do Carisma. Inúmeros foram os esforços do Fundador para manter a Congregação unida, mas como as determinações dos governos estavam além do seu desejo e suas forças, Edmundo  investe na união através da Espiritualidade e Carisma. Era a partir do coração que Edmundo acreditava que as Congregações permaneceriam unidas.

 

Presença: Estes quatro ramos juntos estão presentes em 16 países: Polônia, Tchecoslováquia, Áfria, Estados Unidos, Camarões, Canadá, Bolívia, Brasil, Suécia, Kazaquistão, Bielorússia, África do Sul, Zâmbia, Dinamarca, Alemanha, Itália, realizando o mesmo Carisma e motivadas pela mesma Espiritualidade. Em 1991 houve a solene fundação da Federação das Servas da Imaculada Conceição da Virgem Maria, organização que reúne os quatro ramos os quais hoje contam com aproximadamente 3.500 membros.

 

Você está aqui: Home A Congregação História Fundação da Congregação