Texto bíblico: Lc 1, 26-38

Reflexão:

Neste mês, somos convidados a mergulhar no mistério da anunciação contemplando a manifestação de Deus à humanidade pela Encarnação do Verbo. A anunciação é a revelação do mistério da encarnação no inicio de sua realização sobre a terra. Maria, por sua disponibilidade de coração, acolhe em seu ventre o Verbo de Deus, tornando-se a Mãe de Deus- Theotókos.

São Paulo fala do grande mistério de Cristo que, no momento culminante da história do mundo, vem enviado pelo Pai à humanidade para fazer-se, também ele, completamente humano. “Quando veio a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, que nasceu de uma mulher e nasceu submetido a uma lei, a fim de remir os que estavam sob a lei, para que recebêssemos a sua adoção (Gl 4, 4-5).  

“A visita do Senhor ao seu povo já havia sido anunciada com insistência pelos profetas. Quanto a isso não haviam dúvidas. Mas o modo como o Senhor apareceria continuava mistério. E aqui se manifestou a novidade. Ele não passou pela humanidade, mas aqui se deteve; não se dirigiu às pessoas de fora, mas se fez humanidade e assumiu tudo de dentro. Mostrou-se Deus de homens, falando e agindo no próprio coração da experiência humana”.[1]

Na anunciação, Maria entrega-se completamente a Deus, manifestando a “obediência da fé”. Respondeu com todo o seu “eu” humano feminino, e nessa resposta de fé estavam contidas uma perfeita cooperação com a graça de Deus e uma perfeita disponibilidade à ação do Espírito Santo, o qual aperfeiçoa continuamente a fé mediante seus dons. [2]

Através da narração de Lucas, percebemos que Deus vem ao encontro de Maria, fazendo-lhe sentir que Ela é a Cheia de graça, a Amada de Deus.  Ela crê na palavra do anjo, e sente-se por uma íntima experiência Amanda de Deus. Maria experienciou no mais íntimo de si o que nos diz São João: “Não fomos nós que amamos a Deus, mas foi Ele que nos amou”(1Jo 4, 10).

O Mensageiro de Deus Diz: Alegra-te!  Convida-a a alegria pela presença misericordiosa e salvífica de Deus  entre o seu povo. Cabe a ela alegrar-se porque o Senhor está com ela para estar com o seu povo.  O mistério anunciado é de alegria, pois é o mistério de Cristo. Diz ainda: Kecharitoméne! - Palavra grega que significa: Cheia de graça, favorita, privilegiada, sumamente amável, cheia de beleza e encanto. Cheia de graça significa, repleta de Deus.

No relato da anunciação podemos identificar dois movimentos: Deus que dialoga mediante seu Anjo com Maria, para significar que a presença do Espírito se realiza em um encontro respeitoso feito de chamado e resposta e Maria que com seu Fiat se converte em expressão do Espírito.

Pela resposta obediente e cheia de fé, dada sob o impulso e a força do Espírito Santo, Maria se torna Mãe de Deus e Mãe da Igreja porque  acolhe o Verbo do Pai. 

A anunciação envolve também o silencioso futuro marido, José (Mt 1, 18-25). José, diante da revelação em sonho, da gravidez de Maria, passa por um momento de crise, mas age sempre buscando o bem, inspirado por Deus. José é chamado de “homem justo”. Sua justiça não se baseia na lei, mas na misericórdia. Ele acolhe humildemente o mistério, que está além de sua compreensão. [3]

Partilha:

1. Temos coragem de perseverar na fé mesmo quando ela se faz difícil e dura?

2. Já me dei conta de que na fé ninguém permanece parado, mas, ou avança ou regride?

Oração

Senhor, na tua presença me alegro, como uma criança diante do brinquedo desejado. E tu brincas comigo, e eu contigo. Em ti me alegro, pois tu és a grande Boa-Notícia. Obrigada por receber tantos dons. Sinto muitos sinais do teu amor e da tua misericórdia na minha  vida. Assim, venho, agradecido me alegrar na tua presença. E, como Maria, digo que podes contar comigo. Quero ajudar a realizar teu sonho sobre a humanidade. Eis-me aqui, como tua serva. Eu quero que faça em mim segundo a tua vontade. Tu estás comigo. Teu Espírito repousa sobre mim. Tu estás em mim. Ouço a tua voz: Alegra-te, agraciada, o senhor está contigo! Eis-me aqui![4]

 


 

[1] MORI, E. G. Anunciação do Senhor . In. Dicionário de  Mariologia.  São Paulo: Paulus, 1995. pg. 99.

[2] BACCARANI, Alfonso M. Maria  caminha   conosco. São Paulo: Paulinas, 1994. p 28.

[3] MURAD,Afonso. Maria, toda de Deus e  tão humana. São Paulo: Paulinas, 2004. p.28.

[4]Idem p. 36.

Você está aqui: Home Espiritualidade Ave-Maria Maria, Mãe de Deus - Mar. 2012