Texto bíblico: At 1, 12-14; 2, 1-4 

 

Reflexão:

 Ao contemplar Maria no mistério de Pentecostes, somos  convidadas a experimentar em nós a  ação do Espírito.

Ela experimentou antecipadamente a vinda do Espírito Santo e ensinou-nos como agir a partir da ação desse Espírito. O Pentecostes, que aconteceria somente após a ressurreição e ascensão de Jesus, ela o experimentou bem antes, no momento da anunciação: O Anjo lhe disse: O Espírito Santo virá sobre ti e o poder do Altíssimo vai te cobrir com sua sombra (Lc 1,35a). E sob a ação desse Espírito colocou-se imediatamente a viver de modo intenso a missão que foi a ela confiada.

Maria foi a primeira a acolher o fogo do Espírito Santo que irrompe das profundezas do seu ser. Na Encarnação, Maria, sentiu de uma maneira absolutamente única a ação do Espírito Santo dentro de si. No dia de Pentecostes, o mesmo Espírito, torna-se incandescente por uma nova efusão, mas desta vez já não está só; está no meio da primeira comunidade cristã. Maria é a Mãe, e ao mesmo tempo, a imagem, o coração e a alma desta Igreja a viver agora o seu primeiro Pentecostes.

O Pentecostes leva ao amadurecimento essa relação Espírito Santo – Maria. “Maria, em diálogo com o Espírito de Deus, também realizou e percorreu um caminho de fé, que encontrou o seu ápice na disponibilidade ao Espírito do Pentecostes.[1] 

Se na Anunciação é somente sobre Maria que se exerce o poder regenerador do Espírito, princípio da nova humanidade, no Pentecostes, a Maria se juntam os apóstolos para ampliar a ação do Espírito re-criador. [2]

O Espírito Santo sempre esteve presente em Maria desde o primeiro instante de sua vida. Isso significa que ela foi concebida sem pecado. Em vista da sua futura maternidade divina. O Espírito de Santidade santificou-a e nela habitou.

Maria nos ensina a amar o Espírito Santo. Ela está sempre disponível à voz do Espírito: não se contentou em dizer o “fiat” mais decisivo da história de uma  vez por todas , mas agora nós a vemos prolongá-lo através de contínuo sim à ação interior do mesmo Espírito que a cobriu com sua sombra.[3]

Assim como em Pentecostes, o Espírito Santo atua suave mas poderosamente nas profundezas de nosso ser.

Maria aparece para nós, como a figura realizada do ser humano que se deixa moldar pelo Espírito. Nela o Espírito habita, faz morada, tocando sua corporeidade, sua subjetividade, seus desejos, sua ação. Maria Templo do Espírito, é profetiza da justiça e da misericórdia de Deus na história.[4]

Desde que o Espírito fez de Maria sua esposa fiel, todos somos convidados a recorrer a Ela para atrair sobre nós o Espírito Santo pois, “o amor de Deus é derramado nos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado (Rm 5, 5). E “O Espírito vem em socorro de nossa fraqueza. Pois não sabemos o que pedir nem como pedir; é o próprio Espírito que intercede em nosso favor, com gemidos inefáveis. E aquele que examina os corações sabe qual é a intenção do Espírito, pois é de acordo com Deus que ele intercede em favor dos santos” (Rm 8, 26-27).

“Em Maria, « templo do Espírito Santo », brilha todo o esplendor da nova criatura.” (VC 28).

 

Partilha:

1. O Fundador das Irmãs Servas de Maria   ensinou a estarmos abertas ao que o Espírito Santo tem a nos ensinar. Como vivemos na prática a expressão “... tudo o mais o Espírito Santo vos ensinará”?

2. Na abertura ao Espírito, todo o ser de Maria torna-se Templo Sagrado. Como percebo a ação do Espírito em mim?

 

Oração

Bendita és tu, Maria, templo do Espírito, morada materna do Filho de Deus encarnado, discípula ungida pelo Senhor Jesus.[5]

 

Invocação ao Espírito Santo

Vem, Espírito Santo, em nosso socorro,

Salva-nos de toda distração, Acende em nós o amor pela Virgem Maria,

Permitas que com Maria Te louvemos sempre!

- Te peço, Senhor, manda o Espírito Santo,

- E com Ele os dons celestes que nós lhe imploramos.

 

Oração:

Senhor, que com a luz do Espírito Santo iluminai os corações dos teus filhos digna-te encher com os Seus dons as nossas mentes, vontade e sentidos, a fim de que com a Sua ajuda possamos celebrar com profunda piedade esta oração a Virgem Mãe, consoladora. Em nossas dores, recebemos da Mãe, consolação terrena, e depois da morte, a alegria eterna. Por intercessão do Espírito Santo sejam dadas glória a Deus por todos os séculos. Amém.

(oração feita pelo Bem-Aventurado Edmundo)

 

 BIBLIOGRAFIA: 

[1] AMATO, A. Espírito Santo. In Diconário de Mariologia. São Paulo: Paulus, 1995. p.449.

[2] Idem.

[3] SARTOR, D.  Visitação. In. Dicionário de Mariologia. São Paulo: Paulus, 1995. p. 1348.

[4] MURAD, Afonso. Maria, toda de Deus e  tão humana. São Paulo: Paulinas, 2004. p. 59.

[5] Idem.

Você está aqui: Home Espiritualidade Ave-Maria O Espírito Santo e Maria - Ago. 2012